Você está aqui
Home > Ralis > M-Sport Busca Sucesso Histórico Em Casa

M-Sport Busca Sucesso Histórico Em Casa

 

A M-Sport vestiu em 2017 o ‘casaco’ da Ford, que ela própria costurou, para dar vida ao Ford Fiesta WRC. Depois, pediu asas e a Red Bull trouxe Sébastien Ogier. Agora, chegados à penúltima etapa do ano do FIA WRC, a equipa britânica precisa apenas que um dos seus três carros conclua o rali dentro dos pontos, para vencer o título de Construtores, o que não deixa de ser notável, se levarmos em conta que se trata de uma equipa privada a bater aos pontos várias marcas envolvidas a nível oficial. Acresce a este notável feito, que Sébastien Ogier deverá sair do Dayinsure Rale de Gales/Grã-Bretanha como Campeão do Mundo de Ralis. Esta será por isso, uma prova muito especial para a estrutura gerida de forma brilhante por Malcolm Wilson.

“É difícil encontrar as palavras para descrever o impressionante feito que estamos prestes a conseguir esta semana”, disse Malcolm Wilson, Diretor Desportivo da M-Sport. “Quando começámos a desenvolver o Ford Fiesta WRC, eu sabia que nós tínhamos a equipa certa para desenhar um carro de ralis ganhador e sempre esperámos poder estar nesta posição. Agora que realmente chegámos aqui, é difícil encontrar palavras. Mas, ainda não conseguimos e não nos podemos esquecer de como o Rali de Gales/GB é desafiante. As alterações constantes de temperatura, o grip imprevisível, os dias longos, fazem deste um dos eventos mais exigentes do ano.

Todos os nossos três pilotos, já deram provas do que são capazes de fazer em Gales e não tenho dúvidas que qualquer um deles é capaz de assegurar o melhor resultado possível. Mas, tudo pode acontecer e nós temos que nos manter no nosso melhor até concluir esta tarefa”.

Sébastien Ogier, sempre acompanhado de Julian Ingrassia, pode fazer história, de várias formas, na etapa britânica do Mundial de Ralis. Desde logo, se vencer, torna-se o primeiro piloto da história a totalizar cinco vitórias na prova. Depois, se sair de Gales com o título de pilotos no ‘bolso’, terá concretizado o quinto campeonato consecutivo no mundial de ralis. O francês nem sequer precisa de vencer a prova. Basta, caso o seu rival mais próximo vença, que Ogier seja segundo na prova e vença a Power Stage.

“Este evento está impregnado na história do desporto motorizado e acho que é justo dizer que o Rali de Gales/GB é um dos mais icónicos do calendário”, disse Ogier. “É um rali que todos querem vencer e nós com certeza esperamos estar na luta pelo primeiro lugar. É um dos ralis mais desafiantes do ano e é necessário ter arte para julgar os níveis de aderência nas florestas. É um evento em que demoramos a entrar no ritmo certo, mas tenho que dizer que agora me sinto em casa nas florestas de Gales.

Claramente, este poderá ser um evento muito especial para a equipa e também para nós, pois proporciona-nos a primeira chance matemática de assegurar o campeonato de pilotos. Mas, agora não podemos pensar muito nisso. Temos apenas que nos focar em desfrutar do rali e estar ao nosso melhor nível”.

Após obter as suas duas primeiras vitórias no Mundial de Ralis esta temporada (Itália e Alemanha), na equipa que lhe abriu as portas do mundo dos WRC, Ott Tänak prepara-se para iniciar o penúltimo rali ao volante de um Ford Fiesta. Para o estónio, este será sem dúvida um evento especial. Além disso, acompanhado por Martin Järveoja, é um dos dois que matematicamente ainda podem destronar Ogier do título de pilotos.

“O Rali de Gales/GB é um clássico. Os dias são longos e as condições imprevisíveis, mas os ralis são isto e são estas características que fazem dele um dos maiores desafios do calendário”, disse Ott Tänak. “Quando tu consegues um forte resultado em Gales, sabes que estiveste no teu melhor. Esta será a sétima vez que corro o rali, seis delas com a especificação máxima do Ford Fiesta (WRC). Tenho boas experiências daqui, as especiais são rápidas e fluidas, que é algo que aprecio muito. Podem-se tornar bastante escorregadias e polidas nas segundas passagens mas, mais uma vez digo, é esse desafio adicional que torna este rali tão especial.

Obviamente, este será um fim-de-semana muito importante para a equipa. Estamos à beira de assegurar algo realmente fabuloso e todos irão dar o seu melhor para concretizar esse objetivo. Se conseguirmos concluir o fim-de-semana com uma vitória, será ainda melhor”.

Elfyn Evans é o piloto de Gales mais bem sucedido no WRC. O jovem galês não se poderá nunca queixar de falta de apoio no Rali de Gales/GB e esta edição da prova não mudará isso, pois já foi criada a “curva Elfyn”, onde os seus fãs se irão juntar, perto do final da especial de Myherin. O galês, estrou-se na prova em 2007, num Ford Fiesta ST, vencendo depois o evento em 2013 (WRC 2). Em 2014, concluiu no top cinco, na sua estreia com um WRC.

“Nunca há nada que se aproxime muito da emoção de correr em casa e estamos a caminho de um clássico Rali de Gales/GB. As icónicas especiais, o tempo, as especiais noturnas, os dias longos – a proposta para este ano inclui tudo e é esse desafio que realmente me agrada”, comentou Elfyn Evans. “Estou ansioso para começar e desempenhar o meu papel num evento que pode ser histórico para a equipa.

É sempre fantástico poder ver os fãs galeses nas especiais e é verdade que o seu entusiasmo nos dá aquele pequeno extra de motivação. Vamos ter que esperar para ver de que forma o nosso conjunto se adapta às condições atmosféricas, mas estamos ávidos por um forte resultado antes do fim do ano e vamos dar tudo nesta prova”.

Fotos: M-Sport

 

Facebook
Twitter

 

Artigos Semelhantes

  • Carlos Gato

    “na equipa que lhe abriu as postas” 🙂

Top